“O Zen fez nascer em mim um olhar mais detalhista, às vezes minimalista, praticar o Haicai me mantém em plena atenção, percepção de tudo, de todos, do nada...”

百竜恵






.

H A I K U

De origem japonesa, o Haiku (também conhecido como hokku, haikai ou Haicai) é uma breve composição poética, que tem raízes nas profundas relações do homem com a natureza. Esta arte obedece a uma forma estrutural de 17 sílabas ou fonemas, distribuídos em 3 versos. O fundamento filosófico do haiku possui bases budistas, conceituando que neste mundo em que estamos tudo é transitório, somos parte da natureza sujeitos e feitos de mudanças contínuas assim como as estações (outono, inverno, primavera, verão).

terça-feira, 8 de março de 2011

Manhã nublada
abro a janela e respiro.
Cheiro de mata.

Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵


Jorrando néctar
flores viram banquete.
Pequenas famintas.

Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵


Brisa úmida
surpresa no fim da trilha.
Tesouro oculto.

Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵


Lanternas de bambu
enfeitam o caminho.
Manhã nublada.

Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵


Nuvens de chuva
sobrevoam o Jatobá.
Gigante da mata.

Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵


Aguardando a chuva,
em seu trono vermelho.
gafanhoto canta.

Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵


quarta-feira, 4 de novembro de 2009


Céu azul e distante,
cobre a copa da palmeira.
Somos tão pequenos.

Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵



Sol se levanta,
iluminando o bambuzal.
Termino o zazen.

Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵



sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Trilha de bambus,
Sol brilha atrás do templo.
Caminhos de Bashô.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)

百竜恵

Calor no templo,
Iwamadera brilha.
Lembro-me de bashô.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)

百竜恵

Dragão de algodão,
brilha com crista prateada.
Ao redor da Lua.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)

百竜恵


sábado, 12 de julho de 2008

Ao amigo Monge Genshô

Procurando a luz,
na madrugada de inverno.
Seguir no caminho.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵















Mãos postas em prece, meus sentimentos à família Chalegre!

terça-feira, 3 de junho de 2008

Homenagem a Mestre Goga, saudades...

Brisa de outono.
Sentado com mestre Goga,
escrevo haicais.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵



quinta-feira, 8 de maio de 2008

Verdes pinheiros.
Outono se manifesta,
gravado na mente.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)

百竜恵

Mente atenta em zazen.
Brisa morna na sombra,
cercado por bambus.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)

百竜恵


Primavera em flor.
Raios vermelhos surgem,
no meio do verde.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)

百竜恵


quarta-feira, 7 de maio de 2008

Olho para cima,
céu azul no topo dos bambus.
Majestosa visão.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)

百竜恵



Olho para trás,
presente já é passado.
Folhas secas do zen.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)

百竜恵

Ouço o bem-te-vi.
Tarde emoldurada,
na janela do zendô.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)

百竜恵

Zafus em fila,
sino ecoa na chuva.
Passos a caminho.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)

百竜恵

Martelo descansa,
manhã quente de dezembro.
Sento em zazen.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)

百竜恵

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Neve iluminada
Pingos caem do telhado
Abro as janelas


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵



quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Cheiro de chuva,
invade minhas narinas.
Aguardo os trovões.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵




segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

Depois da chuva,
a rua fica em silêncio.
Botas encharcadas.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵



Pingos na testa,
cheiro de terra úmida.
Corro para casa.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵


sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Ano novo no céu.
Barulho ensurdecedor,
beleza magistral.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵



Estrada de bambus
Ano novo chegando
Velho caminho


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵



sábado, 8 de dezembro de 2007

Outono chegou,
Kooyoo em todo o Japão.
Olhos estasiados.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵


Bem-te-vi avisa,
que os peixes estão chegando.
Garça agradece.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵


quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Lago enfeitado,
flores de espelho d'água.
Detalhes divinos.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵



Pela janela,
entra a buganvília.
Pétalas de ouro.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵



terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Chuva matinal,
saúdo o monge de pedra.
Guardião do templo.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵


Daqui da muralha,
sinto um frio cortante.
Serpente de pedra.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵


sábado, 1 de dezembro de 2007

Fria Kenrokuen,
pássaros estão tímidos.
Cheiro de chá verde.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵


Galhos sem folhas,
contrastam com céu azul.
Volto para casa.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵


Escada de pedra,
rumo ao céu nublado.
Templo me espera.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵


Neblina densa,
remo para dentro dela.
Silêncio no ar.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵

terça-feira, 27 de novembro de 2007

Na ponta do galho,
buganvília sozinha.
Cálice vermelho.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵



Mangueira em flor,
Atrai as maritacas.
Festa no quintal.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵



segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Gotas de chuva,
círculos se misturam.
Refletem o céu.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵



Pingos escorrem,
cheiro de terra molhada.
Manhã especial.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵



domingo, 25 de novembro de 2007

Beija-flor invade,
A varanda do meu quarto.
Acordo feliz.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵



sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Neblina fria,
envolve todo o lago.
Sons do silêncio.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵


sábado, 3 de novembro de 2007

O Galo cantou,
depois da chuva de verão.
Sol desce tímido.

Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵


Morcegos voando,
ao redor da castanheira.
Silhuetas aladas.

Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵


domingo, 23 de setembro de 2007

Pegadas na neve,
Mostram a trilha do templo.
Medito sozinho.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵



Mosquitos me seguem,
Até à porta da cabana.
Refúgio sagrado.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵



Sol de verão se põe.
Na escadaria do templo,
Observo o astro rei.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵



Dia quente, aguardo
por ela em frente à escada.
Saudades do Brasil.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵



Manhã, brisa morna.
Recebo os raios de sol,
Dentro da caverna.


Fábio Azevedo
(Hyaku Ryuu Kei)
百竜恵